As Minhas Palavras

Sobre vida, sobre leituras, sobre tudo e mais alguma coisa que me passe pela cabeça. São as minhas palavras...

sábado, julho 23, 2005

Férias...

As minhas férias este ano envolvem planos feitos em última hora, com um dia de antecedência. Segunda-feira, dia 25, parto para o Algarve e só volto Domingo, dia 31. Por isso será um semaninha inteira em que não me vão ver por aqui. Beijocas a todos.

quinta-feira, julho 21, 2005

Correio...

Pois, vejam-me lá esta. Andava eu a comentar lá pelos fóruns do bookcrossing que não recebia nada no correio há já alguns dias, e hoje estava um aviso de recepção na minha caixa de correio. Mal sabia eu o que me esperava na estação. Fui eu, toda contente, a pensar que tinha um livrinho à minha espera... bem... não era um... eram oito!!! Acho que ia tendo um chilique... Ora observem:

A senhora da estação dos correios ficou muito admirada e até me perguntou do que é que aquilo se tratava, pois eram oito envelopes -seis do estrangeiro mais dois nacionais - que estavam ali à minha espera. Nunca mais volto a dizer que não recebo correio. Nunca mais volto a abrir a boca a manifestar-me. De facto, acho que vou começar a recear avisos de correios. A Lei de Murphy volta a atacar. Só me resta ir começando a fazer as contas à vida porque a pilha TBR, que já de si era grandinha, aumentou exponencialmente com esta nova enchente de livros. Realmente, eu preciso de ser acorrentada e fechada num quarto bem pequenino e escuro...

O que estava dentro destes envelopes todos
bonitos? Nada mais do que, respectivamente, dois bookrings (um deles vinha juntamente com um livro que tinha emprestado), cinco livros que obti pelo BookRelay (eu disse que era uma obsessão, não disse?) e uma das minhas recentes compras na eBay (eu queria ter tido força suficiente para não me meter nesta também, mas quando comecei a explorar... nem vos digo nada... aquilo é um perigo autêntico para a sanidade mental das pessoas, já para não falar da sua carteira). Aqui estão os meninos, ora vejam lá que bonitos são:










Carregar com todos aqueles envelopes foi obra, mas lá consegui. A minha mãe é que ficou muito admirada quando me viu pousar isto tudo na mesa da sala. Estava ela a perguntar "então, veio um livro, foi?" quando eu descarreguei os envelopes todos em cima da mesa e comecei a abri-los, um por um, a saborear aquela sensação de deslumbramento (são livros!!) e de surpresa ao ver quais é que eram. Não estou habituada a receber coisas no correio, muito menos livros, por isso é sempre uma sensação de imensa felicidade quando retiro um de um envelope e folheio as páginas, desejando ter todo o tempo do mundo para conseguir ler esta nova adição (ou, neste caso, várias adições). Pelo menos não vou ter falta de envelopes nos próximos tempos, se conseguir aproveitá-los!

Mas ainda não acabou! Isto não foi o somatório do que recebi hoje, só que os seguintes não vieram por correio, mas foram passados em mão pela Snowshoee, quando ela veio cá a Palmela para lancharmos. Pois é, pois é... Em minha defesa, afirmo que ela só me trouxe três livros pequeninos e DVDs, pelo que não são grande contributo para o meu futuro afogamento. Os bookrings em que me vou inscrevendo é que são o grande problem
a! Mas, bem, vamos lá mostrar mais fotos. É que eu adoro fotos!










A neura do Harry Potter tem que ser alimentada. Em cima está um bookring dos Mundos Mágicos de Harry Potter, e aqui estão os livritos dos Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los, bem como do Quidditch Através dos Tempos. Após ter acabado de ler o novo livro do Harry Potter, estes livrinhos vão ajudar a matar a sede que irá durar dois anos, segundo a JK. Raios, eu agora quero é que o sétimo volume saia o mais rapidamente possível. É que o final deste sexto é demasiado para o meu coração fraco e curioso.

Hmm, mudando de assunto completamente, qualquer dia aprendo a pôr estas imagens mais bonitinhas, centradas e com margens maiores. Mas, por enquanto, isto fica assim.

Fico por aqui... preciso de ir imediatamente pegar num livro. Tenho tantos para ler que quero ver se despacho alguns antes do resto dos bookrings começarem a chegar. Desejem-me boa sorte para esta tarefa hérculea. Digam uma oração por mim esta noite (e nas próximas)... e, por tudo o que é sagrado, não criem mais bookrings!!!!

Boa noite.

domingo, julho 17, 2005

Obsessões...

Ontem fui a Lisboa para ir buscar a minha edição do Harry Potter and the Half-Blood Prince, sem ter que estar horas à espera em filas. Simplesmente efectuei a pré-compra e fui levantar o livro sem qualquer problema ou complicação e certamente sem que me faltassem horas de sono devido a ter ido comprar o livro quando as lojas abriram à meia-noite. Eu gosto do Harry Potter, sou fã desta série de livros e fiquei contente quando ele saiu ao ponto de querer ter a certeza de ter uma cópia para mim no dia de publicação, mas alguns dos comportamentos que vejo as pessoas demonstrarem na televisão, em reportagens, confunde-me bastante. Enfim, resta-me enroscar-me com a minha nova leitura num sofá ou na minha cama e perder-me pelo seu mundo mágico, ignorando que o mundo real é um sítio bem estranho (excepto que comportamentos de fangirls enloquecidas também parece existir no livro!)

Bem, a minha ida a Lisboa ontem não foi apenas para ir buscar um livro. Pela manhã, fui encontrar-me na baixa com as meninas prendadas que conheci pelo Bookcrossing, para irmos visitar lojas de contas e missangas (e, consequentemente, aliviarmos o peso das nossas carteiras...). Não sabia que existiam tantas lojas a venderem materiais para criar lindos colares, pulseiras ou brincos, com a excepção das lojas chinesas, que têm de tudo. Uma das lojas que visitámos consistia totalmente em contas e missangas. Acho que vou ficando cada vez mais preparada para começar a enveredar por este caminho. Qualquer dia apresento aqui a minha primeira criação. Mas por enquanto apenas posso mostrar os meus poucos materiais:

Para além disso, trouxe de Lisboa dois livritos que a tho e a BlossomU me emprestaram, para ajudar esta principiante a dar os primeiros passos na arte da criação de bijuteria. Obrigada, meninas!

Não foi exactamente um dia cheio de compras para mim, mas eu realmente quero perceber como é que isto funciona antes de começar a comprar tudo o que é material e dedicar-me inteiramente a projectos de bijuteria. Estou desejosa de começar: existem esquemas que dão origem a coisas tão lindas!

Após o passeio ainda fui almoçar com a Escalla e a Flor, numa pequena tasca onde serviam pequenos pratos e um arroz de leite de côco bem apetitoso, e de onde trouxe um livro que a F. me emprestou. Da parte da tarde fui assistir a uma sessão de Dungeons & Dragons, algo que já estava para querer assistir há já algum tempo. Eu sou fã deste tipo de jogos, mas até agora tenho jogados estes RPGs no computador ou através de email, por isso foi interessante ver como é que se jogavam estas campanhas tabletop, onde os teus companheiros de jogo estão contigo na mesma sala e não a quilómetros de distância, em diferentes continentes ou mesmo à tua frente na forma do teu computador. Gostei imenso de visitar a Devir Arena, uma loja de publicações com uma espaço interior, num andar em baixo, onde existem diversas competições de Magic: The Gathering, um jogo de cartas, a decorrer. Um paraíso para quem gosta destas coisas, não haja dúvida. Achei muito interessante a sessão; nunca tinha reparado quanto tempo é que pode demorar para realizar uma acção tão simples como matar um monstro: é preciso lançar os dados várias vezes, algo que é automático quando jogamos no computador.

Portanto, voltei a casa ainda um bocadinho carregadita, com estes dois livros a fazerem peso:

Agora desculpem-me, mas tenho um encontro com um mundo mágico e uma escola de feitiçaria. Vemo-nos daqui a uns tempos, pois agora tenho que ler. Sabem, é que apesar de não demonstrar comportamentos de fangirl enloquecida em público, isso não quer dizer que não esteja em pulgas para saber o que raio acontece agora, neste sexto livro. Por isso, até depois...

quarta-feira, julho 13, 2005

Relay: Troca de livros...

Então estava o Dilbert a dizer que eu nunca mais aparecia por aqui e eu resolvi fazer-lhe o obséquio da minha presença neste blog, para vos contar mais uma das minhas obsessões recentes. Pois, porque não chega estar viciada em livros: uma pessoa tem que ir logo envolver-se em tudo o que é comunidade e sistema que se relacione com livros. O nome desta obsessão é BookRelay, criado por um bookcrosser há já algum tempo e fazendo uso das nossas estantes de livros no BookCrossing. É um sistema de troca de livros, onde para aceitares um tens que oferecer um teu, de acordo com o tema imposto por um relay específico. É muito interessante e as pessoas que participam activamente nisto são muito simpáticas, como é possível ver nos fóruns do site.

Pois, como dizia, isto tem sido um vício ultimamente. É uma boa forma de partilharmos livros sem ter que os "libertar" ao vento, sem saber para onde vão e com quem é que ficam e se serão bem estimados. E entretanto já me chegaram cá a casa, deste bookrelay, estes três livros:


O primeiro a chegar foi o Visto do Céu, de Alice Sebold, que eu andava a namorar há algum tempinho. Quando a livraria online Byblos fez a sua campanha de liquidação, tentei encomendar este livrinho mas já se encontrava esgotado. Por isso quando o vi no BookRelay, não hesitei e agora faz parte da crescente montanha TBR. A história de uma rapariga de catorze anos que observa tudo e todos, a vida quotidiana da família e amigos, excepto que está morta. A premissa interessou-me muito, por isso vamos lá a ver quando é consigo ler o livro.

Terça-feira recebi o Gabriela, Cravo e Canela, de Jorge Amado, que a Sinhinhu me enviou, juntamente com uma Sininho de papel e um rebuçado muito bom (foi uma querida!). Apesar de já ter ouvido falar muito da telenovela, nunca a cheguei a ver. Que melhor forma de me familiarizar com a história do que lê-la? Por isso foi mais um livro que me veio ter a casa.

Hoje, o meu pai deixou o meu primeiro livro do estrangeiro em casa antes de se ir embora; aparentemente o livro tinha andado a saltar de caixa em caixa de correio, pois não estava dentro da nossa mas por cima, no exterior. Veio direitinho de Manchester, o Dangerous Lady, de Martina Cole, um dos livros que aceitei do BookRelay. Isto não se compara à quantidade de livros que devo ir receber no futuro, pois realmente envolvi-me tanto que em menos de uma semana ofereci mais de dez livros (e aceitei uns outros tantos). Estou desejosa que cheguem. Depois só resta saber se vou ter tempo para os ler!

Numa nota diferente (ou não muito diferente, pois ainda envolve livros), perdi um leilão na eBay que queria muito ganhar (mas aquilo acabava às 7 da manhã e eu não ia ficar acordade até lá!), de uma trilogia da Robin Hobb. Enfim, acontece. Ainda sou muito novinha nesta coisas de leilões electrónicos. Sinto-me triste, mas até é melhor assim, que já tenho muito para ler e ainda por cima serve para poupar uns trocos.

Estou a acabar de ler uns livros, parte de bookrings, depois digo que minha justiça quanto a eles. Assim, os meus posts acabam por ser bastante longos... aqueles dos quais o Dilbert parece ter saudades.

Abraços.

quinta-feira, julho 07, 2005

Explosões...

Numa nota menos divertida, façamos um momento de silêncio pelas vítimas mortais das explosões hoje de manhã no Metro de Londres e num autocarro de dois andares, e que os feridos fiquem bem o mais depressa possível para voltarem para as famílias e amigos que sofrem. Ainda não se sabe se foi o resultado de actos de terrorismo, mas parece que há uma probabilidade grande de tal ser verdade. Força para os serviços de salvamento londrinos e para todos os que sofreram de alguma forma, especialmente aqueles que não sabem de entes queridos.

Bem hajam.

Madagáscar...

Ontem fui ver o Madagáscar com a Snowshoee, no Vasco da Gama, após termos voltado do encontro BC. Convém indicar que, de tanta conversa trocada dentro do metro, nem sequer reparámos que tínhamos passado a estação da Alameda (teríamos que sair lá se quiséssemos ir na direcção do Oriente) e só demos por isso quando já íamos nos Anjos (mesmo assim, não a tempo de lá sairmos, pelo que fomos para ao Intendente). No meio da risota, lá voltámos para trás, e até encontrámos a Escalla e o Justicar pelo caminho, eles que haviam saído mais tarde de Telheiras. Foi bem engraçado foi...

O filme foi muito giro. Gostei bastante. Fartei-me de rir, porque era impossível não o fazer, mesmo logo desde o início. As vozes estão espectaculares, a caracterização muito bem feita e a história é muito divertida. Recomendo vivamente irem ver este filme animado, porque está mesmo um amor. Não sei como está a dobragem para português, mas já ouvi dizer que também está engraçada, por isso levem os vossos filhos, irmãos mais novos (ou mais velhos!), primos, sobrinhos, etc., a ver este filme. Aliás, vão vocês mesmos ver, sem criançada atrás, que não se vão arrepender.

Beijocas!

Mais Encontros...

Ontem fui a mais um encontro Bookcrossing, desta vez em Telheiras, uma zona que eu não conhecia nada bem e à qual só fui uma única vez o ano passado, durante a minha procura de escolas para recolher dados para a monografia. Primeiro, encontrei-me com a Snowshoee no Vasco da Gama e andámos por lá a passear, a gastar as solas dos sapatos e a deleitarmo-nos com os livros das lojas do centro comercial e com os da Feira do Livro de Verão, que tem estado a decorrer nas galerias da Gare do Oriente. Fomos juntas em direcção a Telheiras, ainda era bastante cedo, mas quando lá chegámos ainda nos íamos perdendo.

O nosso objectivo era o de encontrar a Biblioteca Orlando Ribeiro, e lá demos com ela, depois de termos andado às voltas lá pela zona, sem saber onde era a entrada da dita. Achei a biblioteca gira, pois está localizada num casarão daqueles mais antigos, e tem uma sala de leitura num terraço aberto, o que é uma maravilha. No entanto, tem demasiadas escadas (e bem estreitinhas), na minha opinião. Mas como eu gosto de bibliotecas, foi um prazer conhecer uma nova, com tantos livrinhos ali a olhar para mim e a pedir para serem levados para casa. Oh, quem me dera!

O encontro foi bem productivo, apesar dos meus ombros se queixarem com o peso. Levei mais livros do que estava à espera, mas na grande maioria foram BDs. Acho que ando a ficar viciada nestes, mas quem é que me manda andar a vasculhar a bookshelf da Escalla e meter-me em sarilhos? Quando era mais jovem é que costumava ler muita BD. A minha infância foi povoada com praticamente todas as bandas desenhadas da Disney, da Turma da Mônica e desse tipo. Na adolescência, os meus gostos mudaram e lia X-Men, Super-Homem, Homem-Aranha, Batman, etc. Não era uma afficionada, nem de longe, mas ainda ia lendo várias BDs.

O gostinho foi-se perdendo, ou pelo menos deixou de ser tão estimulado, até me deparar com o Bookcrossing, e desde então tem sido uma perdição. Tornei-me impossível, e qualquer dia sou obrigada a carregar um caixote cheio de empréstimos. Senão vejam lá os comics que me vieram parar às mãos ontem, alguns deles mesmo antes de me conseguir sentar numa cadeira lá no café onde o encontro decorreu:












Os X-Men têm sido um dos meus favoritos grupos de heróis de comics, sendo esta série uma das que eu mais lia quando era jovem. Cheguei mesmo a ver os desenhos animados que davam na televisão. Adorava a Rogue e a Jean Grey, duas mulheres fortes dentro do universo dos X-Men, e é claro, o Wolverine era sempre um favorito. Irá ser bom recordar estes meus heróis neste volu
me do Essential X-Men da Escalla. Por isso, obrigada! E agradeço igualmente os quatro volumes (pequeninos, ainda bem!) dos Marvels, que irão permitir-me observar os vários heróis desta editora de comics pelos olhos dos jornalistas: achei a premissa extremamente interessante, por isso lá fui eu pedir mais um empréstimo. É o F. que vem carregado e eu que saio da mesma forma -- qualquer dia vamos todos ao endireita, porque as costas já não aguentam!

Finalmente, a simpática Flor trouxe-me o 1602, tendo-se oferecido para mo emprestar quando reparou que eu andava a ler o primeiro volume traduzido. É uma edição lindíssima em hardcover, com ilustrações incríveis nas últimas páginas, e até tem um cartoon do escritor e do artista a discutir o comic! Uma reinvenção de heróis bem amados da Marvel no século XVII - a não perder!

Depois apareceram-me estes dois de surpresa, um de um bookring que não pensava ser a primeira inscrita (o Baby Blues), e outro que a Flor me trouxe juntamente com o 1602 (o Elfquest), numa tentativa de me levar a perder a sanidade mental através do nascimento de novos vícios no que toca aos comics. É que só os prelúdios do Sandman já foram suficientes para me tornarem fã (e existem 10 volumes desta série, já para não falar dos spin-offs todos!), mas se me torno obcecada por outros, então é que não dá mesmo: vou ficar completamente presa à minha cama, cadeira, sofá ou mesmo sanita, sendo incapaz de me dedicar a qualquer outra coisa mais importante (aka "a monografia") enquanto não tiver devorado os ditos. Ai a minha vida...












Para
adicionar à virtiginosamente crescente lista TBR, a T. ainda me trouxe este livrito, Confessions of an Ugly Stepsister, de Gregory Maguire, que eu andava a cobiçar desde que vi o filme na Hallmark baseado no livro. Eu gosto sempre de ler os livros que baseiam os filmes, normalmente porque as adaptações cinematográficas ou televisivas perdem muitos dos detalhes das obras escritas ou fazem mudanças que podem não ser das melhores (é só apontar como exemplo a transformação da personagem de Faramir, nos filmes do O Senhor dos Anéis).

Para me fazer a vida negra, do tipo em que vou começar a alucinar os livros na minha estante a olharem para mim com sorrisinhos malandros e a dizerem "lê-me, lê-me, lê-me" todos ao mesmo tempo, chegou hoje a casa este livro que apanhei no BookRelay, o Visto do Céu, de Alice Sebold. Quero muito ler este livro, mas tenho tantos outros para ler antes! Vou ter que esperar. Há que haver prioridades...












Cheguei a uma conclu
são, que não se poderá chamar exactamente de uma conclusão muito boa: até ao fim do ano não vou ter falta de material de leitura; quer sejam bookrings/rays, empréstimos ou os meus próprios livros, a lista TBR não vai diminuir tão depressa. Ainda para mais porque eu sou uma viciada, sempre à procura de uma dose para me alegrar o dia. Não há bookring que me escape, bookshelf que aguente a minha passagem tempestuosa, nem loja (física ou online) que não me veja lá a vaguear constantemente. E ainda por cima comecei a explorar as entranhas daquele monstro que se chama eBay!

Podem começar a escrever o meu obituário. Aliás, eu digo o que estará escrito na minha lápide: "Aqui jaz R., cujo fim decorreu de um afogamento por livros." A lápide será de madeira, claro está, porque o dinheiro necessário para comprar uma de mármore foi há muito gasto nos meus queridos e futuros assassinos...

segunda-feira, julho 04, 2005

Testes à la Harry Potter...

Pois. Não tendo muito para dizer desta vez, excepto que enloqueci com um site chamado BookCloseOuts, graças a um link que vi num outro blog, e que acabei por encomendar mais do que um livro (foram mais uns seis...), resolvi dedicar-me ao preenchimento de testes online. Só que não foram uns testes normais... Em honra de só faltarem duas semanas para ter o meu novo livrito do Harry Potter nas mãos, encontrei dois testes bem interessantes baseados nesta série da qual tanto gosto. Senão vejam...

Encontrei este teste no livejournal de uma grande escritora de fanfiction baseada no Senhor dos Anéis (malta, se gostariam de ler histórias neste universo, a Thundera Tiger é uma das melhores escritoras deste tipo de fanfiction). É um teste de personalidade que nos remete para um dos personagens do Harry Potter, e este foi o meu resultado:

Pirate Monkey's Harry Potter Personality Quiz
Harry Potter Personality Quiz
by Pirate Monkeys Inc.

Explanation of the Results:
This type of personality test uses four indexes of personality and the combination of the four is your personality type. The first index relates to how you interact with other people and can be Extroverted (E), meaning you're more outgoing or Introverted (I), meaning you keep more to yourself. The second relates to how you make decisions; whether you're Intuitive (N), getting answers from within, or you rely on Sensing (S) information from your surroundings, using your five senses. The third relates to whether you're more emotional and Feeling (F) or rational and Thinking (T). The fourth relates to whether you prefer things to be organized, meaning you're Judging (J), or you prefer things to be more unbound, meaning you're Perceiving (P).

Não posso dizer que seja exactamente este o meu tipo de personalidade, mas sou um bocadinho idealista e sonhadora, sim senhora, e gostaria de pensar que sou imaginativa. Sou um pouco introvertida, pois tenho maior tendência para ouvir do que falar, pelo menos em frente de grupos de estranhos. Acho que, de um modo geral, até concordo com estes resultados, mas não acredito que as pessoas podem ser catalogadas assim tão facilmente, pois nós nunca somos unicamente de uma forma, podendo ter características completamente diferentes e opostas dentro da nossa própria personalidade, dependendo muito da situação, dos motivos e dos nossos sentimentos.

Depois, foi a vez desta brincadeira, menos séria do que o teste acima. Ora vejam lá:

Which Harry Potter Male is Stalking You? by Dooreatoe
Name/Username
Favorite Color
Your StalkerPeter Pettigrew
Days he has been stalking you242
Where he is right nowHiding in a tree
How do you find out?He murders your beloved pet
How it all endsYou beat him with a rod until he leaves
Quiz created with MemeGen!

Estava-se mesmo a ver que seria o velho, desprezível Peter Pettigrew que me estaria a perseguir. É claro que me pergunto como é que ele assassinou o meu animal de estimação (provavelmente fez sopa de tartaruga, o malvado!), mas pelo menos parece que vou afuguentá-lo à pancada, o que não será mais do que aquilo que o traidor merece. Realmente, uma das personagens que mais desprezo na série é exactamente este Pettigrew e os seus modos furtivos.

Para acabar, deixem-me só dizer-vos que recomendo vivamente a série do Sandman, de Neil Gaiman, cujos primeiro quatro volumes me foram emprestados pela Escalla, e que estou a adorar. Sinceramente, uma das melhores séries de BD que tenho lido nos últimos tempos. Não que eu leia muitos comics, mas recentemente tem despertado em mim um crescente interesse por eles, e tenho lido alguns bastante bons. Por isso, senhores e senhoras, se ainda não tiverem lido pelo menos um volume do Sandman, aconselho-vos a experimentar. Existe uma versão em português à venda dos prelúdios, uma introdução à série que irá fazer de vocês fãs (ou não...).

Abraços.

sexta-feira, julho 01, 2005

Livros! Livros! Livros!

Pois é, não chega trazer de um encontro BC no dia anterior quatro volumes do Sandman, de Neil Giaman, e mais dois volumes do Hellboy de Mike Mignola, empréstimos da Escalla. Não, claro que não. Tenho que ir logo enloquecer (momentaneamente) e arranjar ainda mais livros para ler... é que são tão poucos os que já tenho!

Bem, mas vamos por ordem de assuntos. Virando-me para o passado recente, nomeadamente no que diz respeito ao encontro BC ontem, posso dizer que cheguei um bocadinho atrasada, pois não dava com o raio do sítio. Onde é que já se viu enfiar um café Magnólia dentro de uma Valentim de Carvalho? Não concordo, não senhora, mas nem sequer foi este o problema -- eu andei foi às voltas na rua a tentar lembrar-me onde é que aquilo ficava, mas lá dei com o caminho após duas raparigas me terem apontado na direcção certa. As peripécias de uma rapariga da margem sul que conhece muito pouco de Lisboa, apesar de estar lá estudar há uns seis anos.


Enfim, hoje vim a Lisboa para ter um atendimento com a minha professora por causa da monografia e saí de lá toda confusa por causa de um tratamento de dados que estava a dar problemas. Depois fui ao Chiado, à querida FNAC, para encomendar o Harry Potter and the Half-Blood Prince. Asneira das asneiras, porque acabei por sair de lá com compras na mão.

Aqui estão elas:











O primeiro, The Handmaid's Tale, de Margaret Atwood, apela para a minha sempre crescente paixão por sociedades distópicas, aquelas histórias que nos descrevem visões do futuro mais totalitaristas, assustadoras até, especialmente porque existe uma possibilidade real nestas ideias de um futuro próximo. Gosto de ler obras deste tipo, algo que surgiu desde que li o grande 1984, de George Orwell, um daqueles livros que nos marcam profundamente e que se recomenda a toda a gente.

O segundo é o conhecido Watership Down, de Richard Adams, companheiro de mesa de cabeceira de muitos jovens americanos durante a sua adolescência, um daqueles livros que fazem parte dos clássicos mas que nunca tinha tido oportunidade de adquirir mas sobre qual nutria uma grande curiosidade. Até que o comprei hoje e espero poder lê-lo em breve, entre momentos mais calminhos onde não tenha empréstimos ou bookrings em casa, graças ao bookcrossing... Duvido seriamente que tal venha a acontecer. É que a montanha TBR vai aumentando (por enquanto, na teoria) a cada momento que passa e em breve vou estar enterrada em livros.

No entanto, tal não me impede de continuar a trazer livros para casa. Adicionalmente aos empréstimos acima mencionados no encontro BC, hoje ainda fui à biblioteca e trouxe estes dois meninos:











Alguém me amarre, se faz favor, antes que eu dê em maluca! Será que não consigo passar um dia sem ter ainda mais material de leitura?

Antes de acabar esta entrada (cheia de sofrimento, diga-se de passagem, não só psicológico como físico, ainda por cima porque as minhas costas bem se queixaram ontem de todos os BDs que trouxe na mochila), quero recomendar uma BD da Marvel, o Wolverine: Origem, que gostei imenso de ler. É verdade que parte do fascínio deste nosso herói é o seu mistério, a sua busca do seu passado esquecido, que esta BD vem a desvendar, é impossível não gostar de a ler. A arte é linda, as cores fabulosas e a escrita bastante boa. Para quem gosta do Wolverine e mesmo para aqueles que não costumam ler muitos comics, recomendo vivamente. Só a capa é suficiente para despertar o interesse.

Bem, acho que vou ficar por aqui. Já vos aborreci o suficiente por um dia. Abraços a todos os meus leitores (e que bom é saber que tenho "leitores" neste meu blog!)...